Como anda a minha alimentação?

Oi povo lindo! 
Tudo bom?
Estava com saudade de tudo isso, acreditem. Não fiz posts nem vídeos porque algumas coisas precisavam ser resolvidas antes. Até agora tenho alguns assuntos inacabados, mas nem tudo tem solução imediata, infelizmente.
Mas vamos ao que interessa? 

No vídeo de hoje, me senti no telecurso 2000, resolvi falar um pouco sobre a minha alimentação, meu pé no vegetarianismo e o que estou fazendo que não deveria fazer.
Depois do vídeo farei algumas ressalvas, pra tentar sanar o máximo de dúvidas possíveis, ok?


Agora vamos estender nosso papo:
  • Sobre o vegetarianismo:
Ainda não posso me julgar vegetariana, mesmo porque carne nenhuma dá em árvore. Mas posso dizer que estou em processo, procurando um nutricionista ou nutrólogo que não surte com isso.
Embora minha causa não pareça nobre, pois comecei por questão de saúde, penso sim na série de problemas ambientais que a indústria da carne promove, isso é um grande incentivador também.
  • O que aprendi no “Desafio 21 dias sem carne”?
Coisas bem interessantes sobre proteínas vegetais, que ser vegetariano/vegano não é triste nem “sem graça”, que não preciso me entupir de soja (um alívio), que coxinha de jaca é a gordice vegana mais incrível que já comi na vida e, acima de tudo, o impacto ambiental causado pela indústria da carne.
  • Whey pode?
Sim, pode. Desde que você tenha acompanhamento. 
Não tenho um acompanhamento adequado, mas foi recomendação da treinadora e testei tomar por algumas vezes antes, como não me fez mal, comprei um pote grande por questão de economia mesmo.
Mesmo assim prefiro uma alimentação mais equilibrada, sem gorduras e bem natureba a ter que viver tomando whey protein pra sempre.
Segue a tabela nutricional do Whey Hers da Neonutri, aquele que mostrei no vídeo:

  • Ah!!!
Outra coisa que tenho necessidade de salientar é a tal maltodextrina. Ela é um polímero de glicose usado para aumentar a energia de ATLETAS, uma vez que eles precisam consumir muita energia para se dedicarem plenamente aos treinos. 
Quando consumimos isso, mesmo que minimamente, sem ao menos praticar uma atividade física de média intensidade, não há gasto calórico, o que pode causar danos a longo prazo para o organismo.
  • Mais algumas coisas…
Além de ter reduzido os doces, exceto nessa semana que tá osso, troquei o sal comum por sal grosso porque já tinha em casa e me recusava a gastar dinheiro comprando sal de novo, mas assim que acabar vamos tentar o sal rosa.
O açúcar refinado deu lugar ao açúcar mascavo e ao demerara, por serem menos prejudiciais e ainda preservarem alguns nutrientes da cana-de-açúcar.
Frituras só quando saímos na intenção de fazer uma gordicezinha, mesmo porque não rola fritar nada nessa casa que a ventilação é artigo de luxo.
Gorduras são usadas em quantidades minúsculas, usamos azeite de oliva e óleo de coco, mas a quantidade é só pra fazer de conta que tem gordura.
  • Mas Roberta, e as gordices que agregam valor a vida?
Nós fazemos!
Mas ao invés de comermos um bolo de chocolate, dividimos uma fatia. Ao invés de matar uma pizza grande (sim, nós eramos desses e eu tinha 3 estômagos só pra pizza), dividimos uma brotinho. Não deixo de comer absolutamente nada do que gosto, mas quando é mais calórico como em pouca quantidade.
Ufa! Acho que acabei. kkkkkk
Caso ainda tenham dúvidas, deixem na página do blog no Facebook, no Twitter ou nos comentários do vídeo lá no Youtube.

Beijos!
Até mais!